Publicado por: Marilia | 30/08/2010

Sessão interativa na capital paulista

O The Creators Project foi lançado esse ano pela revista Vice em parceria com a Intel na iniciativa de “ser a primeira faísca de criatividade a dar vida aos sonhos e aspirações do século 21”, unindo pessoas que tenham em comum a paixão pela criatividade e tecnologia.

Assim reuniram manifestações inovadoras nas artes, design, cinema, arquitetura, moda e música com uma série de exposições e apresentações que começaram no mês de junho e ocorrerão até setembro em diferentes centros urbanos pelo mundo: Nova York (abertura), Londres, São Paulo, Seul e Pequim (três dias de evento e fechamento).

O evento se dedica a celebrar a criatividade e a cultura entre os meios de comunicação ao redor do mundo e possui exposição de arte e instalações, filmes independentes, debates e performances com mais de 80 grandes criadores de diversos países.

Tubo – Muti Randolph (única foto e tirada com cel)

Em São Paulo aconteceu no dia 14 de agosto, na Galeria Baró/Emma Thomas.

Esse ano ocorreu a 11ª edição do FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica), no Centro Cultural Fiesp, de 27 de julho a 29 de agosto.

A exposição é gratuita e conhecida pela mistura de arte e tecnologia, com instalações interativas, jogos, vídeos, trabalhos de internet, performances e workshops. A proposta do festival é fazer uma “arte pública”, de forma que esteja presente no cotidiano das pessoas e todos tenham acesso a arte eletrônica/digital.

Aproveitando a região da Av. Paulista (onde fica o Centro Cultural Fiesp) o FILE se expandiu e instalou outras obras interativas em três estações de metrô, em duas megastores e em dois museus, além de um ônibus que irá circular pelos dois sentidos da grande avenida.

No Itaú Cultural, de 1 de julho a 5 de setembro, acontece a 5ª edição da Bienal de Arte e Tecnologia – Emoção Art.ficial 5.0.

Perfeito para quem busca diversão, interação ou reflexão, seja adulto, criança, leigo ou especialista, pois os organizadores defendem que as obras não precisam ser entendidas, apenas precisam surpreender, provocar e emocionar.

As obras tem autonomia cibernética, agindo como se tivessem vida própria a partir da interação entre homem e máquina e até entre máquina e máquina.

Também tem o simpósio internacional, para discussões entre pensadores de diversas áreas.

 
(nos sites dos eventos – link no nome – vocês podem conferir imagens e descrição das obras)

Responses

  1. ai queria muito ter ido, tentei ingressos de todas as formas, porque eu queria ter visto o curta i’m here, mas não consegui

    • esse curta eu já tinha visto na internet, e vi lá também… sempre choro haha.
      não precisava de convite pra exposição, era só pra festa.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: